Pediatras, e pediatras.

Semana passada, Nico teve sua terceira consulta com a pediatra da rede própria do plano de saúde. Ali no bairro das Perdizes.

Nas primeiras duas consultas achei que ela o tratou como um “filé de frango”. Sabe quando você vai no açougue e pega a carne, olha a cor, pergunta se ta fresca, pesa a carne,  você fica meio assim com o açougueiro, pois não o conhece direito(no sentido profissional), até que decide levar. Do mesmo jeito foi ela com o Nico, pegou, olhou, pesou, mediu e tirou algumas dúvidas minhas e da Naty.

Não mostrou o mínimo de afeto, o famoso, arroz com feijão, óbvio que eu não queria que ela achasse o meu filho o mais lindo do mundo(só Naty e eu achamos isso…rs) mas no mínimo, esboçar um sorriso, afinar  a voz para falar com o bebê, segura-lo no colo como um bebê e não como uma peça de contra-filé. Naty tentou me explicar que plano de saúde é assim mesmo, pelo tempo de consulta e tal, não dá para ter afinidade e etc… Entendi, mas não compreendi… agora penso que poderia ser o meu ego falando, aliás, gritando… rs

Poxa, eu penso que quando a pessoa decide se formar em uma profissão deve ter paixão no que faz, entendo também que a paixão acaba, mas DEVE restar o amor… A veterinária da Cléo, Hurley e Fubá, Dra. Geandra, é o exemplo de uma profissional apaixonada pelo que faz, nunca vi uma pessoa que ame mais o que faz do que ela, no último dia 09/Set. foi dia do veterinário, mandei um sms parabenizando-a pela profissional que ela é, fiz de coração mesmo, pois é admirável como ela trata os bichos.

Agora, me respondam, por que uma pediatra não pode ser parecida? Ou um atendente de telemarketing, um mecânico, um engenheiro, um entregador de jornal? Já que tem que fazer, faça bem feito!

Trabalho fora da minha área de formação(Comunicação Social – Radialista) desde que me formei, por opção minha, deixei de agarrar várias ofertas de trabalho na minha área, em favor do meu bem estar social e financeiro. Atualmente trabalho com números, planilhas, telefones, bancos e etc, tudo muito diferente do que pretendia, só por isso devo fazer com má vontade? LÓGICO que não, tento sempre fazer o meu melhor em tudo que faço. E fica aqui a minha dica, já que temos que fazer, que façamos bem feito. Só vai agregar em várias áreas de nossa vida, profissional, pessoal e por que não dizer sentimental…

Voltando a pediatra, na terceira e (provavelmente)última consulta, Nicolas esta na fase de paquerador(não pode ver uma mulher que já se abre, igual mala velha, mostrando aquela gengiva sem dente…rs) em resposta as “investidas” do Nico, ela brincou com ele, pegou no colo, fez graça, afinou a voz(clássica em quase todos que falam com bebês hahaha) e me deixou com um puta interrogação na cabeça e uma lição de vida… Agora admito, todos temos dias bons e dias ruins, resolvi dar mais uma chance a doutora, assim como já recebi várias chances…Você pode estar pensando, mas no ínicio você disse uma coisa e agora diz outra? Sim, sou humano, sou paradoxo, as coisas nem sempre são tão simples como pensamos ser. Um equívoco ou apenas uma intuição?! Não sei, só sei que não importa a resposta, nada é tão simples.

E vocês, já passaram por algo parecido??? Comenta ai.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *