O necessário

“Eu digo necessário
Somente o necessário
Por isso é que essa vida eu vivo em paz”

Mogli

A enfermeira e tia Bia é a responsável pelas vacinas do Nico. Ela sempre fez questão de aplicar cada uma delas, mas já deixou claro que a partir dos 6 meses de idade não faria mais essa “maldade” com o Nico “tenho medo de que quando ele me veja, já me associe com picada de injeção!” hahahaha. Nunca fui muito a favor de vacinas(as mães pira), mas, nem por isso, deixo de dar as vacinas do Nico em dia. Eu já sou marmanjo, tenho 26 anos e ainda estou vivo, mesmo sem vacinas, isso é história para um outro post.

Nico é fortinho para vacina, nunca teve reação(febre, vomito e etc), mas por precaução, em dia de vacina, ele dorme conosco na cama, para facilitar tirar a temperatura na madruga… Na semana pós vacina, Nico fica manhoooooso, faz biquinho de choro, é engraçado quando aprendemos(pela convivência) a detectar o tipo de choro do bebê, de manha, de fome, dor ou cólica(um tipo FILHODAPUTA de choro), sono e etc… é realmente uma linguagem a parte.

Para quem esta de fora, na platéia(amigos, familiares e etc) choro = choro, mas, para quem vive junto choro = N’ alternativas. Já ouvi muito “ele tá com fome, certeza!” o moleque acabou de mamar, “não é cólica não?” ele já tem 5 meses, cólica é coisa rara agora, “acho que é o ouvidinho” você pega ele no colo e o choro “milagrosamente” pára… Quem já teve mais de um filho, sabe que mesmo gêmeos são diferentes, eu só tive um(ainda) mas convivi com outros bebês MUITO diferentes. “No atacado e no varejo dos bebês”, a coisa muda muito hahaha.

Fico curioso a cada mudança comportamental do Nico. Ele já esta começando a atender(virar a cabeça) quando ouve seu nome, mas, dependendo do humor(sim, ele já tem algo parecido com humor…rs…) ele não dá a mínima. Naty luta 2 guerras por dia, dar de mamar e trocar a blusa dele. Para essas duas ações a paciência dele é curtíssima, diminui o fluxo do leite, já abre o berreiro, fica virando os braços, tenta levantar do colo… sim LEVANTAR DO COLO, no melhor estilo  “fuck that shit!”. Após o banho(ele adora banho), fralda CHECK, calça/bermuda CHECK, meias CHECK, colocar blusa = transformação em Hulk Mirim.

Dormir no berço em um horário aceitável(antes das 22h) é a minha guerra diária, como trabalho fora, tenho pouco tempo com o Nico, então faço questão de 2 coisas, dar banho nele e coloca-lo para dormir, é o nosso tempo juntos. Mas a cada dia na “guerra do sono” tenho que mudar de estratégia, para conseguir vencer, ainda estamos longe das 22h, mas, um dia eu chego lá… r. Já demorei cerca de 2h para coloca-lo para dormir e ele dormir apenas 30 minutos, o reloginho biológico dele, deve estar no horário do Japão… só isso explica… rs

Posso continuar aqui dando exemplos de ações e escolhas necessárias(pelo menos eu penso que sim), que tomo no dia a dia, para o bem estar e educação do Nico. E por que raios você disse tudo isso Bruno? Cadê o começo meio e fim dessa p%$@ de post. Simples! Como pai, faço coisas, no dia a dia, que pode causar dor ou “dor”, porém, são necessárias para os pequenos. Chorou quando mamou? Então tira o leite e dá fórmula? Lógico que não, seja paciente e tente dar mais leite. Ele não gosta de vestir a camisa, blusa ou camiseta? Deixa pelado? Não, coloca mesmo que contrariando o bebê, para evitar uma gripe ou algo pior, se ele chorar, acalme-o. São ações necessárias, seja para nós, pais, ou seja para eles, filhos. E as coisas continuarão assim para sempre, só mudarão as ações e os chiliques… rs

Eu tive noção disso ontem, quando após o banho Nicolas chorou MUITO para ser trocado, berrava, gritava, batia braços, estava igual a música “ah que isso, elas estão descontroladas…” dai perguntei para Naty, quando será que isso acaba e ele entenderá que o que estamos fazendo é necessário… ela me respondeu de uma maneira bem maternal, nunca!

Só devemos(e incluo vocês, pais e mães, nessa também!) tomar cuidado para não engolir as escolhas, opções e subjetividade de nossos bebês, transformando eles em extensões de nosso eu, isso seria trágico, para não dizer triste de diversas maneiras… Aprecie com moderação e parcimônia, igual a cerveja =P

(Quando tiver 10 anos Nico, favor reler este post, para evitar se frustrar por toda a sua adolescência e juventude… rs).

E vocês mães e pais de plantão, já se sentiram assim alguma vez? Comenta ai!

4 comentários em “O necessário

  1. Eu já sei identificar alguns choros.
    O de cólica e o de fome eu sei. O restante, para mim é fome também kkkkkkk porque o de cólica é diferente de todos. É aquele choro que você sofre junto, né? rsrs
    E olha que nem tenho filho ainda. Vou aprender muito com o Nico até lá rsrs

    Adorei o post. bjs

  2. Apesar de não ser pai ainda, eu conheço cada choro que uma criança faz… Afinal cuidei do meu irmãozinho… Noites de madrugada com ele no colo por colica, pelos dentes nascendo, as vezes por manha… Basta saber colocar limites nos pequenos que as coisas não vão sair dos limites.
    tem que treinar desde cedo, igual animalzinho ^^

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *