Um novo ciclo de natal

Esse natal foi um pouco diferente do normal, nunca tive uma família muito ligada ao natal, nosso foco sempre foi o ano novo juntos, natal era cada um por si… rs. Esse ano me dei conta que eu tenho que começar a comemorar o natal de uma forma diferente, ainda não sei como, mas diferente, afinal agora eu tenho a minha família e gostaria que o natal para o Nico, pelo menos por alguns anos, fosse algo especial. Não apenas pelos presentes e pela ceia(gordo é foda), mas pelo espírito do natal, sou da opinião que não precisamos de uma data para perdoar ou pedir perdão, mas é fato que no natal os corações amolecem, o orgulho já não tem mais tanta certeza de que esta totalmente certo, revivemos alguns momentos passados com outro olhar, o olhar do outro.

Penso que no Natal, é bem mais fácil ser bondoso, uma simples visita há um orfanato, ou algum hospital infantil consegue mudar a visão de mundo de qualquer pessoa mentalmente saudável. Já tive a oportunidade de fazer as duas visitas que citei acima, e digo que cada uma delas matou um pouquinho do espírito natalino que eu possuía, não no sentido ruim, mas no sentido real. No orfanato fui com a minha família, entregamos brinquedos, tomamos café com as crianças e em poucos momentos, nós éramos o mais próximo que elas tinha como família, a cada minuto um garoto me dizia que sua mãe em breve chegaria, perguntei para a moça que cuidava do orfanato e ela me contou que o garoto havia sido deixado lá há mais de 5 anos e nunca tinha recebido uma visita, me peguei pensando como posso ser tão mesquinho no meu dia a dia. Como posso ficar “putinho” com tanto coisa idiota, frente a esse garoto. Isso é natal, é encarar o que fizemos no ano e ter a coragem de dar um pedaço de carvão á nós mesmos. “Fulano me deletou do facebook, cicrano me bloqueou do twitter, galera marcou algo, não me chamou e ainda postou fotinhos no instagram…”. Para você que ainda esta lendo esse texto, reparou que natal me deixa pessimista e um pouco melancólico, mas é por isso, pela realidade que o mundo vive em todos os outros 364 dias do ano, e que nos lembramos apenas no natal. Gente passando fome, guerras acontecendo enquanto eu como meu chester, enquanto engordo alguns quilos na noite de natal, mendigos comem sopa no centro da cidade, dada por pessoas que fazem a diferença nessa data de nascimento, renascimento, o que é o nascer, se não um novo ciclo?

E quando os ciclos terminam? Fantasiado de palhaço visitei crianças no hospital do câncer, em um outro natal, nunca fiquei tão triste em minha vida, mais um péssimo natal para mim, mas um bom natal para eles, cheios de esperança, alegria, agarrados a um fio de vida, alguns sem força até para levantar de seus leitos para receber os presentes dos palhaços,  que de tempo em tempo choravam e saiam da sala, abraçávamos as mães, e elas num choro tão sincero nos apertava como se estivesse renovando suas forças para mais uma noite sofrida, acordada e sentada em uma cadeira improvisada de hospital, sem saber se no dia seguinte poderia abraçar seu filho, seu menino… é este natal que quero voltar a viver. Há anos que não fiz mais nenhuma coisa boa no natal, só visitei amigos, abracei familiares, comi ceias maravilhosas e me esqueci desse outro natal.

Abracei o meu filho na virada da meia noite, e tive a certeza que hoje nada é mais importante para mim do que seu bem estar, sua formação, espero que um dia ele leia isso e saiba que este é o espírito de natal que ele deve ter, presentes são bem vindos? Lógico que são, mas não devem ser a regra do natal. Penso que esta é uma data no ano que podemos realmente fazer diferença para outras pessoas, podemos ser o natal delas.

Que todos tenham um ótimo fim de ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *