As pequenas coisas da vida

Pequenos atos, podem e fazem uma enorme diferença em nosso dia a dia. Um “- Bom dia” seguido de um sorriso sincero, um olhar complacente à alguma boa ação, um “- Saúde” após um espirro de um desconhecido, entre outras pequenas atitudes que podem mudar o rumo do seu dia. Imagine você vivendo em um mundo sem “gentileza”, não por um dia, ou por uma semana, mas por anos. Um lugar onde ao menor deslize gentil, fosse encarado como algo desprezível. Daí você pára de ler o texto e se pergunta “Mas que merda de cogumelo o Bruno (autor do blog) comeu!?” – Nenhum. Apenas acordei com essa sensação de que a cada dia que passa, estamos menos gentis com o próximo e nem sempre a culpa disso é nossa.

Quinta feira passada, um rapaz veio no meu portão enquanto eu pagava o motoqueiro que trazia a “janta”, pizza. O rapaz tinha uma idade média de uns 30~40 anos. Uniforme de trabalho, cabelo bagunçado como qualquer pessoa que suou o dia todo no serviço e pegou busão lotado para voltar para casa. Ele me pediu um dinheiro para por gasolina em seu carro, pois sua esposa estava na maternidade tendo o seu bebê prematuro de 7 meses, ele realmente passou sinceridade, pois quem me conhece sabe como eu sou com dinheiro… rs… Pior que o tio patinhas… kkkkkkkkkk Ele falou que sua esposa havia saído de casa e levado seu cartão e seu carro estava na garagem da casa dele sem nenhuma gota de gasolina, ele me mostrou a carteira do convênio Porto Seguro, seu crachá do prédio onde trabalhava de porteiro. Para testa-lo ofereci cinquenta reais, para ver a que ponto chegaria a sua ganância, caso fosse uma farsa (que não me pareceu em momento algum), ele respondeu sincero “- A maternidade é na Av. Paulista, acho que trinta reais dá para ir e voltar de boa, dai amanhã nesse mesmo horário eu te devolvo” Ele me agradeceu horrores, falou que estava envergonhado de ter que pedir dinheiro emprestado, mais realmente era uma emergência e tal. Emprestei ciente que se fosse uma farsa, aprenderia uma lição barata (30R$) e se ele devolve-se o dinheiro, aprenderia uma lição MUITO valiosa, que pessoas honestas não são tão raras assim no local onde eu moro… hoje é segunda feira e eu aprendi uma lição barata.

Me entristece contar isso para vocês, mas é um modo de aliviar esse sentimento que estou sentindo. O cara teve a manha de usar um bebê prematuro para ganhar trinta reais?! Chega a me dar raiva. O bebê pode até existir, ou não, o ponto é o valor do caráter de alguém, como pode valer apenas 30 R$. 

Se pudesse voltar no tempo, creio que novamente emprestaria o dinheiro, não por querer ser o caridoso nem nada, até porque não sou muito de caridade não… mas isso é assunto para outro post, mas o ato que eu tive, foi um ato de esperança, esperar que realmente fosse verdade, esperar que realmente eu havia ajudado um pai a ver seu filho prematuro, ajudar uma família a se reunir, sei lá… acho que depois que tornei-me pai, amoleci (no bom sentido…rs).

Minha esperança foi abalada? Sim, porém, continuo acreditando que não é nesse mundo que eu quero que meu filho viva, por isso farei dele um homem digno, para que seus filhos, talvez, vivam num mundo melhor.

Para ilustrar meu texto, segue esse vídeo bem bacana!

Leia Mais

Leia para o seu bebê

Nico adora livro, seja para “ler”, apreciar os desenhos, coçar a gengiva, ou comê-los. O mais importante é a sua interação desde pequeno com os livros. Lembro do episódio do Chaves que o Sr. Madruga fala “Chaves, se quiser chegar a ser alguém, que devore os livros!” em seguida, Chaves rasga uma página do livro e começa mastigá-la. Nico tem livro para banheira, livro de histórias, uma coleção de livros + DVD, livros de palavras e cores, além das revistas e papéis que ele consegue pegar em cima da mesa ou das estantes.

Saímos com os padrinhos do Nico para tomar um milkshake, passamos em frente uma loja de brinquedos e a madrinha disse que compraria o que ele quisesse na loja… “Release the Kraken”, ou seja, soltamos o Nico na loja, frenético, acho que ele amou tanto a liberdade de poder andar numa loja de brinquedos, que ele queria tudo e ao mesmo tempo nada, pois sua atenção não ficava mais de dez segundos em uma única coisa. Para a sorte da madrinha rsrs, decidimos dar um livro para ele, já que nem se juntasse o limite de todos os nossos cartões, não daria para comprar tudo que o Nico havia gostado na loja. Que por sinal fez um escândalo digno de Oscar para sair da loja. Se ele e o Leonardo DiCaprio estivessem na disputa, acho que o Léo continuaria na fila. rsrs.

Fomos para uma livraria alguns andares abaixo, havia algumas crianças (6~8 anos) escolhendo livros, Nico ficou mais interessado nas crianças brincando com os livros 3D do que com os livros de sua idade. A Madrinha dele adora quebra-cabeças e achou um bendito livro que era uma mistura. Nico amou o livro. Um porquinho estampava a capa do livro, que falava sobre animais da fazenda e os animais eram grandes peças de um quebra-cabeça. Ela também comprou um livro de palavras e imagens associativo, por exemplo, em páginas seguidas estavam as palavras e desenhos de uma escova de dente e do creme dental, o sol e a lua e assim por diante. 

Não deu tempo de chegarmos em casa e Nico já tinha mordido todo o porco da capa do livro, o menino já ama bacon, meu garoto!!! kkkkkkkkk

Para completar essa história, tenho que contextualizar que na porta de entrada da casa da minha mãe, tem esse enfeite:

 enfeite

E desde sempre, mostramos o sol para ele, sol, sol, sol… sol.

Quando o menino abriu o livro das palavras e viu na última página o sol, pronto, batizou o livro de “sol”. Quando queremos brincar com ele e o livro, já pedimos para ele ir pegar o livro do sol, ou apenas SOL (para os íntimos) e ele vai todo bonitinho pegar o livro. Já o outro livro, não poderia ser outro nome senão Porco, ou como ele diz, Pôco!

Fica a minha experiência e minha sugestão, está na dúvida do que comprar para seu filho, neto, afilhado, sobrinho e etc?! Compre um livro!

E os seus pequenos, também gostam de “ler”? Comenta aí!

 

Bjss

Leia Mais