A importância da Amizade

A amizade é um amor que nunca morre.”
Mário Quintana

Li no blog Pais Modernos um post que falava a respeito da importância de expressar sentimentos, não apenas dentro de casa(entre família) mas em qualquer outra relação social.

Imaginei você tentando comunicar-se com um vaso. Você chama o vaso e ele não responde (estranho seria se ele responde-se…rs), você acaba perdendo a paciência com o vaso e começa a gritar para que ele te dê o mínimo de atenção(demanda atenção) o exemplo parece estranho, mas, termine o raciocinio comigo, chegará num ponto que o vaso começará a te ouvir? te entenderá? mudará?

LÓGICO que não… pois ele é um vaso, inanimado, produzido, sem vida.

Diferentemente de nós, seres humanos, pensantes, que vivemos em busca de algo que nunca mais teremos, a completude plena, perdida desde o momento que “entendemos” que não somos a última bolacha do pacote, o resto do leite condensado, quando nos vemos “sozinhos” nem que seja por um mínimo momento. A grande diferença de nós para os vasos, é que temos a opção de mudar, não precisamos ser inanimados sempre, não precisamos negar emoções, temos esta opção, mas não necessariamente temos isso como regra. E não estou aqui para julgar valores, apenas expondo fatos que me vem a mente, porque afinal de contas, isso aqui é um blog paterno e não uma tese de mestrado…rs

Amizade (do latim amicus; amigo, que possivelmente se derivou de amore; amar, ainda que se diga também que a palavra provém do grego) é uma relação afetiva, a princípio, sem características romântico-sexuais, entre duas pessoas. Em sentido amplo, é um relacionamento humano que envolve o conhecimento mútuo e a afeição, além de lealdade ao ponto do altruísmo. Neste aspecto, pode-se dizer que uma relação entre pais e filhos, entre irmãos, demais familiares, cônjuges ou namorados, pode ser também uma relação de amizade, embora não necessariamente.

Fonte: Wikipédia

Ok, você leu o post até aqui e não achou a palavra amizade(no título) pertinente ao texto… Você acabou de deixar de ser vaso e passou a ser humano…rs… já começou bem(ou não). Antes de continuar quero que você pense no diálog:

“Nossa… você lembra aquele dia?” “Lógico que lembro, realmente inesquecível/épico/foda/dahora a vida!”

Agora tente formar pares para este diálogo… pai x filho / casais em geral (namorados, ficantes, casados … ) / Pessoas da mesma escola/turma/vizinhança… o que há em comum entre esses pares? O laço de amizade.

Penso que a amizade pode ser considerada uma “cola” que junta diferenças e proporcionam momentos “bons e ruins” de partes de nossas vidas… pode parecer meio exagerado, e é.

Exemplificando: aquela traição de um amigo querido, ou aquele amor que começou com uma amizade, aquela discussão que tira o sono enquanto não resolvida, e aqueles momentos, tão bons, que fazem parte da memória coletiva entre os amigos… são poucos momentos assim… mas são momentos que nunca saem da memória, são essas pequeninas partículas de tempo,  que me faz desejar ser um dos amigos do meu filho(a).

Não seja um forever alone… faça(e mantenha) amigos!

Bjss

 

Concordou? Discordou? Quer acrescentar algo? COMENTE!

Leia Mais

Contando aos Amigos

Naty engravidou no meio ou final de Outubro, e é tradição em nossa família festa de Halloween, já havíamos organizado uma no ano anterior e a organização deste ano já estava a todo vapor, cedemos nossa casa e arrecadamos verba dos amigos e familiares para comprar enfeites, luzes e etc.

Aproveitando essa data, que seria  no último sábado de Novembro, decidimos contar para todos nossos amigos e familiares, presentes na festa, de uma única vez, para evitar mimimi (picuinha) do tipo “fiquei sabendo por último”, “nossa que mancada”, “poxa, to triste… to chateado” e como se tratava de um momento alegre e feliz, não queria esse tipo de atitude.

Ai então que me surgiu a idéia, por que não fazer um vídeo com fotos de amigos, familiares e conhecidos apresentando o nosso futuro bebê?! Bendito seja orkut e facebook que me cedeu fotos sem direitos autorais… rs

O vídeo foi feito na véspera da festa, sexta feira. Fiz uma espécie de futuro diário, uma forma de ensinar meu bebê quem eram aquelas pessoas que ele virá a conhecer, modéstia a parte, ficou simples, mas muito bonitinho, talvez eu o coloque no youtube, um dia.

Após renderiza-lo, fui eu, todo besta, testa-lo no dvd, “ai a poha ficou séria”. MINHA FICHA CAIU! EU TERIA UM BEBÊ!

Chorei feito moça. Já na festa, após mostrar o vídeo para galera, aos prantos novamente, fiquei feliz por ter compartilhado este momento único com todos os meus queridos amigos e familiares.

O que era para ser feliz, acabou terminando em lágrimas, de felicidade, mas, em forma de lágrimas.

Leia Mais