Viajar sem o pequeno

Mês passado viajamos e não levamos o Nico, foi uma viagem para realizar o sonho da minha esposa, a bendita Disney! A viajem foi lendária, maravilhosa e cheia de emoção, renovamos nossos votos de casamento, além de presenciar o pedido de casamento de um casal de amigos muito especial, foi realmente muito bom. Em nosso grupo, outro casal de amigos, não menos especiais, também optaram por não levar a pequena deles. Mas vamos ao tema central do post, levar ou não levar os pequenos, em uma viagem desse tipo?

A primeira vista é fácil julgar “Nossa, foram para a disney e não levaram o Nico, que egoísmo, falta de amor, que descaso com o pequeno e etc… ” porém, numa viajem de 16 dias, sendo que 2 desses dias são perdidos, pela chegada e retorno ao aeroporto, após cansativas 9h de vôo, e outros 10 dias são reservados aos principais parques de Orlando, já dificulta o julgamento primário sobre o egoísmo dos pais.

Além da cultura com as crianças ser TOTALMENTE diferente da nossa, no país do Tio Sam, fomos testemunhas de muita coisa que não aprovamos lá, como por exemplo, crianças após apenas 3~4h de parque, já exaustas, chorando repetidamente e muito queimadas do sol (que castiga MUITO em Orlando). A temperatura lá, lembra o litoral, porém sem a brisa do mar, apenas o bafo de calor e o asfalto insuportavelmente quente, para uma criança de 3 anos, creio que não seja o tipo de viagem ideal.

Voltamos a quase 15 dias e ainda não nos recuperamos totalmente do desgaste físico que sofremos lá, o mental esta 100% revigorado, mas para sedentários, do dia para a noite, acordar as 7h e ir dormir as 2h, andar de 15~18km por dia, e eu digo ANDAR mesmo, não de carro não, a pé, canelar nos parques o dia inteiro e esperar a queima de fogos que acontece entre 21~22h, depende do parque. Vimos tantas crianças chorando e pais estressados que nos demos conta, que fizemos a opção correta de não levar o Nico dessa vez, temos planos de voltar e fazer um passeio totalmente voltado para ele, visitar parques que nem passamos perto, por ser muito infantis e ter uma rotina MUITA mais tranquila, para a viagem ser prazerosa e não estressante para o Nico. 

Óbvio que deixamos ele com as pessoas que mais confiamos na Terra, os avós, paternos e maternos, ambos se organizaram para que Nico ficasse entre as duas casas da maneira mais tranquila possível, sem os avós, a opção de deixa-lo não seria viável. Obrigado vovôs e vovós! rsrsrs

Um ano antes da viagem, nós já começamos a deixar o Nico dormir na casa do avôs, um ou dois dias direto, uma espécie de treino homeopático, ele sempre chorava, mas para voltar para casa kkkkkk Ele voltou um pouco mal criado e mimado, preço que pagamos por deixar muito tempo com os avôs babões, mas já entrou na linha novamente… kkkkkkkk Falávamos com ele quase todos os dias via Skype, isso quando ele queria falar conosco e não estava ocupado “jogando jogueimê” com um dos tios, ou no “celulá jogando joguinho dos zumbie”, enfim, nossa viagem foi excelente e a interação do Nico com os avôs melhor ainda, ele ficou muito mais próximo dos dois avôs, foi sucesso total, por isso aconselho a não julgar a situação antes de saber o cenário todo, cada família tem um modo de agir e educar, não tem certo ou errado, o que tem são opções que funcionam para sua família ou não. Para a minha funcionou, mas a partir da próxima viagem, Nico já terá idade para viagens mais puxadas e entendimento para saber obedecer, quando é hora de dormir, comer, e descansar. 

Obrigado pela visita!

=D

Leia Mais

Atualização Necessária

Oi gente, hoje acordei inspirado a escrever para vocês, um pouco mais sobre como esta o Nico e seu desenvolvimento.

Apenas um resumão rápido para atualizar vocês, já que nesses últimos meses fui abduzido por ETs e só voltei a postar hoje! rsrsrs

Nicolas está na escolinha, desde o meio do ano, o começo foi complicado, mas depois da bendita ADAPTAÇÃO, tudo caminha bem. Sempre que te oferecerem adaptação, pense com carinho nessa hipótese, te dará mais trabalho no início, pois o horário da escolinha será reduzido, mas é um esforço válido para fazer essa ENORME transição dos nossos pequenos, menos traumática e frustrante. Pois saber que ele(a) ficará longe de você por horas é quase um martírio para os pequenos (e para nós!). A adaptação serve para nós também! rsrsrs

Ele esta com 3 aninhos agora, já fala mais que matraca, quando ouve seu nome no meio de uma conversa, interrompe e pergunta: ” – Papai, o que você falou de mim? (ou “do Nico”, ele as vezes usa a terceira pessoa para falar dele próprio). “- Nada Nico, deixa de ser curioso.”

Ele é filho único, então dividir é bem complicado, mas a escolinha e nós em casa estamos nessa missão, ensinar que é necessário saber dividir, seja comida, brinquedos, tempo na tv e etc… Quando acaba alguma série que eu assisto, ele vê os créditos e rompe em dizer: “Aeeee, agora é minha vez, põem desenho pai”. Assinamos Netflix em casa, o menino adora uns desenhos que nunca vi na vida, e ele apelida os desenhos e episódios com o que vem na sua mente… por exemplo, na HORA DA AVENTURA, tem um episódio que tem uma elefoa rosa, ele chama ela e o episódio de “Dona Tromba”.

Seu vocabulário está cada vez mais amplo, mas o português fode com ele, ontem conversava com Naty sobre aplicação financeira e etc, que a poupança não é um bom negócio atualmente por causa da inflação e etc… Nico interrompe e pergunta ” Pai, poupança é aqui ó? [apontando para sua bunda]” respondo “Sim filho, isso também é poupança, mas estamos falando de outra poupança” ele retruca “A sua ou a da mamãe?” caímos na risada, não tem como falar sério com ele acordado kkkkk

Vou me esforçar para manter uma assiduidade nos posts!

Abs e uma ótima semana para vocês!

Leia Mais

A fala e a educação

fala

Após se segundo aniversário, Nico está desenvolvendo rapidamente sua fala. Já até cantarola algumas músicas, dentre elas o “Cai cai balão” e o “Brilha, estrelinha brilha…” Que já estão me dando dor de cabeça de tanto ouvir kkkkkkkk

O menino não pode me ver quieto que já vem “Cai cai, papai…” ou com sua voz fininha e desafinada “Bida biiiiiiidaaa” só não aprendeu o estrelinha ainda kkkkkkkk É muito engraçado ele assistindo a desenhos educativos, ontem peguei ele falando “A, E, I, O, U” junto com o desenho. Mas ele adora mesmo são as músicas, meche a cabeça, faz movimentos lentos com as mãos, rodopia sem parar, um aspirante à dançarino. 

Tudo que explicamos para ele é entendido, porém, muitas vezes é acompanhado pelo “humm”: Nico sai daí. Hum? Nico sai daí filho. Hum? Nicolas sai daí agora! Hum?! Bidaaa bidaaaaa papai? kkkkkkkkkkk  ¬¬

Optamos(sim, pq tem gente que educa na paulada msm…rs) por educá-lo sem violência física, vez ou outra rola um tapinha na mão, mas não mais que isso. Ele tem uma “poltrona do pensamento”. Quando faz algo errado, pela segunda ou terceira vez, ele vai para a “poltrona do pensamento” e fica lá por 1~5 min sem brinquedos, quando ele fica de saco cheio do castigo, coisa de 1~2 min depois, ele começa a nos chamar e tenta nos “ganhar”, não entendeu!? Exemplo: Naty o coloca de castigo, daí ele me chama “papai, óh a mamãe óh” e o contrário quando eu o coloco. Ele é bem ligeiro, mas nós (ainda) somos mais. Temos bem fechado a nossa maneira de educá-lo, não nos contradizemos e sempre conversamos longe dele sobre o assunto.

Até o momento a poltrona esta funcionando, quando pela segunda vez ele joga a água no chão da sala com caneca nós perguntamos “Nico você que ficar de castigo?” de imediato ele respondo “não não” e balança a cabecinha safada dele! rs

A cada dia que passa ele aprende novas palavras, novos meios de comunicação e se aproxima da nossa linguagem. Sinto-me feliz e ao mesmo tempo triste, ser pai também é confuso! Pois quanto mais ele se desenvolve, mais ele se afasta da inocência que o faz tão puro e se aproxima de nós adultos.

Leia Mais

Olha o segundo ano aí gente!

É engraçado as fases que passamos em todo o processo de paternidade. Quando casei, Naty e eu combinamos NADA DE BEBÊ! A fase da negação! Vamos ser apenas nós dois, vamos viajar, conhecer o mundo, ser ricos e etc… conseguimos manter esse pensamento por um ano, quase dois. Quando vimos que nunca viajamos, ficamos mais pobres e que a casa estava vazia demais, não conseguimos resistir. Parecia que as crianças nos seguiam, no cinema, no parque, na rua, no trânsito; e nunca eram crianças mal educadas, chiliquentas e birrentas,  eram sempre crianças de novela, educadas, padrão Fifa! Porque afinal, não teríamos um filho assim, saberíamos educá-lo para nunca causar no shopping, por exemplo. (kkkkkkkkkkkk Doce ilusão!)

 Resolvemos ter um herdeiro para as nossas dívidas! Fizemos os exames, tudo OK, Naty engravidou, começou então a fase da tensão (não é tesão não, mas pode ser… kkkkkkkk) Pensamentos em sua maioria ruins, medos, aflições “como vai ser?”, “será que daremos conta?”, “teremos dinheiro?” , “normal ou cesariana?” e etc. Milhões de dúvidas, que na maioria o Sr. Google nos ajudou a resolver (com fontes de confiança, é claro!). Era engraçado como as dúvidas nunca terminavam, pois a resposta das dúvidas anteriores geravam mais dúvidas. No fim deu tudo certo.

 Nico nasceu, começa então a fase do “é uma fase”… CÓLICAS, malditas cólicas! Até os 2 meses Nico não havia tido cólicas, dormia a noite inteira, quando as cólicas começaram! DEUS DO CÉU! Foi tenso, mas era apenas uma fase, que durou mais do que deveria, porém já terminou!

 Nico se desenvolveu e continua na velocidade da luz! É realmente incrível o nível de evolução daquele pequeno ser que em menos de dois anos, aprendeu a falar, engatinhar, andar, correr, pular, fazer birra, charme, sorrir, gargalhar, brigar e brincar com os gatos que temos em casa. Sem contar as milhares de coisas que apenas quem convive com ele tem o privilégio de ver. Há momentos que marcam um ano inteiro, um sorriso com o timming perfeito pode mudar tudo que o eu pensava que eu sabia da vida. Atualmente estou na fase do “queria que tudo tivesse passado mais devagar, ou que eu pudesse ter um controle remoto para rever aquele sorriso, aquela birra no shopping ou até mesmo aquele capote no sofá” esses momentos passam de maneira implacável e só ficam na memória.

Filho te amo. E que você seja abençoado a cada dia! Aproveite sua infância, pois daqui 3 dias, você ficará mais velho e nunca mais terá 1 ano de idade…

=D

Leia Mais

As pequenas coisas da vida

Pequenos atos, podem e fazem uma enorme diferença em nosso dia a dia. Um “- Bom dia” seguido de um sorriso sincero, um olhar complacente à alguma boa ação, um “- Saúde” após um espirro de um desconhecido, entre outras pequenas atitudes que podem mudar o rumo do seu dia. Imagine você vivendo em um mundo sem “gentileza”, não por um dia, ou por uma semana, mas por anos. Um lugar onde ao menor deslize gentil, fosse encarado como algo desprezível. Daí você pára de ler o texto e se pergunta “Mas que merda de cogumelo o Bruno (autor do blog) comeu!?” – Nenhum. Apenas acordei com essa sensação de que a cada dia que passa, estamos menos gentis com o próximo e nem sempre a culpa disso é nossa.

Quinta feira passada, um rapaz veio no meu portão enquanto eu pagava o motoqueiro que trazia a “janta”, pizza. O rapaz tinha uma idade média de uns 30~40 anos. Uniforme de trabalho, cabelo bagunçado como qualquer pessoa que suou o dia todo no serviço e pegou busão lotado para voltar para casa. Ele me pediu um dinheiro para por gasolina em seu carro, pois sua esposa estava na maternidade tendo o seu bebê prematuro de 7 meses, ele realmente passou sinceridade, pois quem me conhece sabe como eu sou com dinheiro… rs… Pior que o tio patinhas… kkkkkkkkkk Ele falou que sua esposa havia saído de casa e levado seu cartão e seu carro estava na garagem da casa dele sem nenhuma gota de gasolina, ele me mostrou a carteira do convênio Porto Seguro, seu crachá do prédio onde trabalhava de porteiro. Para testa-lo ofereci cinquenta reais, para ver a que ponto chegaria a sua ganância, caso fosse uma farsa (que não me pareceu em momento algum), ele respondeu sincero “- A maternidade é na Av. Paulista, acho que trinta reais dá para ir e voltar de boa, dai amanhã nesse mesmo horário eu te devolvo” Ele me agradeceu horrores, falou que estava envergonhado de ter que pedir dinheiro emprestado, mais realmente era uma emergência e tal. Emprestei ciente que se fosse uma farsa, aprenderia uma lição barata (30R$) e se ele devolve-se o dinheiro, aprenderia uma lição MUITO valiosa, que pessoas honestas não são tão raras assim no local onde eu moro… hoje é segunda feira e eu aprendi uma lição barata.

Me entristece contar isso para vocês, mas é um modo de aliviar esse sentimento que estou sentindo. O cara teve a manha de usar um bebê prematuro para ganhar trinta reais?! Chega a me dar raiva. O bebê pode até existir, ou não, o ponto é o valor do caráter de alguém, como pode valer apenas 30 R$. 

Se pudesse voltar no tempo, creio que novamente emprestaria o dinheiro, não por querer ser o caridoso nem nada, até porque não sou muito de caridade não… mas isso é assunto para outro post, mas o ato que eu tive, foi um ato de esperança, esperar que realmente fosse verdade, esperar que realmente eu havia ajudado um pai a ver seu filho prematuro, ajudar uma família a se reunir, sei lá… acho que depois que tornei-me pai, amoleci (no bom sentido…rs).

Minha esperança foi abalada? Sim, porém, continuo acreditando que não é nesse mundo que eu quero que meu filho viva, por isso farei dele um homem digno, para que seus filhos, talvez, vivam num mundo melhor.

Para ilustrar meu texto, segue esse vídeo bem bacana!

Leia Mais

Leia para o seu bebê

Nico adora livro, seja para “ler”, apreciar os desenhos, coçar a gengiva, ou comê-los. O mais importante é a sua interação desde pequeno com os livros. Lembro do episódio do Chaves que o Sr. Madruga fala “Chaves, se quiser chegar a ser alguém, que devore os livros!” em seguida, Chaves rasga uma página do livro e começa mastigá-la. Nico tem livro para banheira, livro de histórias, uma coleção de livros + DVD, livros de palavras e cores, além das revistas e papéis que ele consegue pegar em cima da mesa ou das estantes.

Saímos com os padrinhos do Nico para tomar um milkshake, passamos em frente uma loja de brinquedos e a madrinha disse que compraria o que ele quisesse na loja… “Release the Kraken”, ou seja, soltamos o Nico na loja, frenético, acho que ele amou tanto a liberdade de poder andar numa loja de brinquedos, que ele queria tudo e ao mesmo tempo nada, pois sua atenção não ficava mais de dez segundos em uma única coisa. Para a sorte da madrinha rsrs, decidimos dar um livro para ele, já que nem se juntasse o limite de todos os nossos cartões, não daria para comprar tudo que o Nico havia gostado na loja. Que por sinal fez um escândalo digno de Oscar para sair da loja. Se ele e o Leonardo DiCaprio estivessem na disputa, acho que o Léo continuaria na fila. rsrs.

Fomos para uma livraria alguns andares abaixo, havia algumas crianças (6~8 anos) escolhendo livros, Nico ficou mais interessado nas crianças brincando com os livros 3D do que com os livros de sua idade. A Madrinha dele adora quebra-cabeças e achou um bendito livro que era uma mistura. Nico amou o livro. Um porquinho estampava a capa do livro, que falava sobre animais da fazenda e os animais eram grandes peças de um quebra-cabeça. Ela também comprou um livro de palavras e imagens associativo, por exemplo, em páginas seguidas estavam as palavras e desenhos de uma escova de dente e do creme dental, o sol e a lua e assim por diante. 

Não deu tempo de chegarmos em casa e Nico já tinha mordido todo o porco da capa do livro, o menino já ama bacon, meu garoto!!! kkkkkkkkk

Para completar essa história, tenho que contextualizar que na porta de entrada da casa da minha mãe, tem esse enfeite:

 enfeite

E desde sempre, mostramos o sol para ele, sol, sol, sol… sol.

Quando o menino abriu o livro das palavras e viu na última página o sol, pronto, batizou o livro de “sol”. Quando queremos brincar com ele e o livro, já pedimos para ele ir pegar o livro do sol, ou apenas SOL (para os íntimos) e ele vai todo bonitinho pegar o livro. Já o outro livro, não poderia ser outro nome senão Porco, ou como ele diz, Pôco!

Fica a minha experiência e minha sugestão, está na dúvida do que comprar para seu filho, neto, afilhado, sobrinho e etc?! Compre um livro!

E os seus pequenos, também gostam de “ler”? Comenta aí!

 

Bjss

Leia Mais

Manha, não foi deus que inventou!

Sério minha gente, não foi deus que fez a manha! Isso é coisa do cramulhão/satangôs/inimigo kkkkkkkk

Como pode uma criança de 1 ano e quase meio, ser tão manhoso?

É manha para trocar fralda, manha para dormir, manha para comer, manha para brincar e manha só para fazer manha mesmo!

Se trocar fralda fosse um game, atualmente, nós estamos jogando nível HARD > EPIC… Nico parece uma minhoca. Escorrega daqui, puxa braço, segura perna, tenta arrancar a fralda cheia de cocô, brinquedo algum faz ele ficar quieto no trocador. E quando somos mais firmes com ele, pronto… THE MANHA NEVER ENDS.

Eu sei que os bebês aprendem fácil as coisas, seus cérebros são esponjas sugadoras de conhecimento, mas como ele aprendeu a se jogar no chão chorando? Eu nunca fiz isso (na frente dele kkkkkkkkkkk). Quando esta no colo e é contrariado, parece um golfinho se jogando para trás, na confiança de que vamos segura-lo.

A manha possui outros significados, como por exemplo a “manha do gato“, ou seja, destreza, jeito desenvolto, pode também ser sinônimo de malícia, esperteza, macete e etc. Entre todos esses significados para o signo MANHA, o que mais me chama atenção é a esperteza, como eles aprendem que com manha é capaz de se conseguir TUDO, ou quase tudo?! Eu sou vacinado contra a manha, mas, as vezes, nem eu aguento.

Fala a verdade, você também já fez manha, eu ainda faço até hoje… não tenho mais a minha mãe em casa, para me mimar quando estou com gripe, o menor sinal de um resfriado já era garantia de bajulação kkkkkkkkkk Agora tenho minha esposa, que já é vacinada contra as minhas manhas, mas, as vezes funciona! Eu entendo que é uma fase do desenvolvimento e tal, que o bebê ainda não fala então ele tem que chorar todas as vezes que é contrariado e tal, mas que enche o saco, enche! Sério… as vezes dá vontade de dar uns sacodes no Nico, uns pedalas, mas aí eu paro, penso e não faço. Sei que qualquer hora, um tapa ou outro eu vou acabar dando nele, mas, acredito que ainda é cedo. Creio que se eu bater nele, estarei mais saciando a minha vontade de descontar a manha dele e aliviando meu stress, do que ensinando algo para ele. MAS QUE DÁ VONTADE, OHHH SE DÁ… kkkkkkkkkkk

Não, não foi deus quem criou a manha… foi o dimbas!

 

E vocês? Como lidam com a manha dos pimpolhos?

 

Bjss e até mais!

Leia Mais

A zueira never ends

Queridos(as) leitores, boa tarde! Eu voltei e a ZUEIRA veio junto. Antes de começar a escrever qualquer coisa, gostaria de mostrar a cara de sapeca do Nico.

Nicolas

Agora voltando ao assunto… esse menino está zueiro demais. Com 1 ano e 4 meses, ele esta andando “like a boss” e  querendo muito falar. Atualmente ele faz apenas citações de autores desconhecidos, na língua dos bebês. Tenho muito o que contar, em todo esse tempo que fiquei fora (TCC), mas farei isso em partes.

Hoje vou contar uma das minhas aventuras de pai. Já comecei a passar vergonha e pagar a língua. Sabe aquela mania que temos de julgar sem saber/conhecer do assunto e etc… então, essa mesmo. Quando saía para comer fora, detestava ser encarado por crianças, bebês e etc, com aquelas carinhas de “famintos sacos sem fundo”, sempre dizia “Pais são noção, não vê que a criança está encarando, poxa. Vira ela para lá…” Pois é, pois é… isso não é tão fácil como parece!

Nesse dia em especial, era dia das crianças. Havíamos saído com nossa afilhada e com os avós do Nico, para comemorar a volta de uma viagem de férias. Fomos a um mercado, que possui praça de alimentação, comemos lá, nos divertimos, conversamos e matamos a saudade. Todos satisfeitos! Menos Naty e minha afilhada, que queriam um sorvete. Fomos a um Mc próximo de nossa casa. Chegando lá, comprei um sorvete para cada uma delas, mirrado e sofrido, como qualquer sorvete do Mc. Comprei uma tortinha para mim e o Nico serrou um pedaço de tudo que havia comprado… MAS não satisfeito ele virou e começou a encarar a moça e apontar para a batatinha.

Sério gente, eu estava de frente para a moça e seu namorado, o mano tinha uma cara de poucos amigos, devia ser fome kkkkkkkkk Já a moça foi super simpática com o Nico, deu a batatinha para ele, que não hesitou em enfiá-la na sua boca trituradora. Quando ele tentou pedir mais, fomos embora kkkkkkkk A moça ainda falou “Está com fome, bebê?” Mal sabe ela, que ele já havia devorado uns frangos fritos, algumas batatinhas e parte de um strogonoff de frango.

São aventuras que acontecem e devemos estar preparados, ou não. Já passaram por isso?

Bjs

Leia Mais

Não! Tchau! Acabou…

Não! Tchau! Acabou…

Essas são as três palavras que o Nico não gosta de ouvir. E quem gosta? rs

Quando ele tenta pegar o óculos do meu rosto, falo com veemência “NÃO!” e ao menor sinal de desgosto, ele já faz aquele bicão, seguido pelo choro ou choramingo, depende do humor do bendito Nico.

É engraçado pensar que na verdade, ninguém gosta de ouvir um sonoro “NÃO!”. Deixando de lado um pouco de orgulho e bom samaritanismo, sabemos que lá no fundo o “não” nos corta, nos fere narcisicamente, machuca nosso EU. “Quem é você para me dizer NÃO!?” Já ouviram essa frase? Trocando em miúdos, quando você demanda alguma coisa e alguém te fala “Não!” você se sente castrado, diminuído e percebe que o mundo não é apenas o seu EU, existem vários outros EUs por ai, tão narcísicos quanto você.

Sendo assim, podemos concluir que o “NÃO!” não deve ser dito para seu filho(a), correto? NÃO! Pelo contrário, o “NÃO” assim como o “SIM”, devem ser utilizados de maneira consciente, ensinando ao seu bebê como se portar socialmente, impondo limites, pois seu filho(a) assim como você é um “bicho social” e é a cultura que nos diferencia dos outros bichos.É mais fácil ele aprender a lidar com o “NÃO!” desde cedo, em casa e com afeto, do que aprender do jeito HARD na vida a fora. Já fiz um post aqui no blog, sobre A TURMA DO EU ME ACHO, que tem um pouco haver com este assunto, se quiser ler é só clicar aqui. Se você não tiver medo de refletir, verá que até para nós, adultos, é difícil ouvir um “não” na grande maioria das vezes, podemos colocar vários obstáculos na frente para não enxergar, mas a cada “Não!” que ouvimos e falamos nós crescemos. Qualquer dia faço um post mais elaborado sobre o “NÃO, e a dificuldade de ouvi-lo e dizê-lo”.

Tchau! O que é o tchau, adeus, até logo… despedida. Um indício de perda. O rastro de algo que partiu. E quem gosta de perder? Seja alguém amado ou no “par ou impar”? Já ouvi por ai “é bom a criança ter cachorro desde pequena, para quando o cão morrer, a criança aprender a lidar a perda do bichinho”, penso um pouco diferente, creio que no dia a dia, podemos ensinar o bebê a lidar com esse sentimento, a perda(no sentido mais interior da palavra, a morte) é algo inevitável na vida de todos nós, e não será diferente com o seu bebê, não há necessidade de morrer um cachorro ou gato, para ele aprender a lidar com o luto, consequentemente com a perda. Creio que com pequenas ações podemos “facilitar” essa lição de vida. O pai vai na padaria, dá um tchau para o bebê, a mãe vai trabalhar abane a mão e diga tchau para o seu bebê, visitas, padrinhos, avôs e etc… evitem sair escondidos de casa na hora de ir embora, dê tchau para o bebê, mostre que você veio, porém teve que partir e assim aos poucos, ele entenderá que vocês foram embora, porém voltarão, mesmo que este voltar seja ilusório(até para nós). O bebê se sentirá frustrado naquele momento? Sim, mas em passos de formiga, aprenderá a lidar com a perda, a frustração, a ansiedade, o luto, a sinceridade e etc.

Após todas as refeições do Nico, eu digo “acaboooooou”, antigamente, ele quase sempre chorava, hoje em dia ele continua chorando kkkkkkkkkk, mas é um choro de quero mais, mesmo sem fome, um choro de saudade do alimento que ainda não comeu. Acabar corresponde à um chegar ao fim de alguma coisa, não é necessariamente negativo, acabar uma lição de casa significa que a sua tarefa acabou, e você pode ir jogar vídeo game, quando o pudim de leite condensado acaba, significa que ele chegou ao fim, dando espaço à outra sobremesa. Quando algo acaba, significa que chegou ao fim, e conheço muita gente que tem dificuldade de chegar ao fim de seus objetivos, metas e sonhos, quero que através de pequenas metas, Nico saiba que o ato terminar algo não deve ser visto como algo negativo, pois viver é muito mais do que preto no branco, muito mais que ruim ou bom, certo ou errado… Estou educando um ser pensante e para isso é necessário aprender a lidar com a parte difícil de viver, o Não, o tchau e o acabou! 

Não tenha uma visão errada de mim, pelo modo que eu educo meu filho, creio que você que esta lendo esse texto deve estar me achando um escroto, ditador e etc(escrevi “foda-se”, mas apaguei, só estou dizendo isso aqui, justamente para mostrar que eu não sou perfeito, muito menos dono da verdade) não é bem assim, eu estou tentando educar o Nico da maneira correta(para mim e não para toda a sociedade, vários EUs, lembra? rs ), assim como meus pais me educaram da maneira correta(para eles) e assim por diante, das coisas que tento(veja bem TENTO) ensinar para o Nico, ai estão os pontos mais complicados a serem discutidos. Imagine a educação como uma salada, cheia de temperos e condimentos, uns preferem mais sal do que outros, outros preferem mais pimenta e assim por diante, tudo isso dito acima misturado com afeto, atenção, cuidados, boa alimentação, asseio e amor, muito amor, brincadeiras, estímulos sociais e etc… pode ter certeza que dessa salada eu partilharei!

Deixo claro que esta é a minha opinião sobre esses temas,  não sou médico, psicólogo e muito menos a voz da verdade, sou apenas um pai tentando não errar muito. Cabe a você, refletir meu ponto de vista e concordar ou não. Os comentários estão sempre abertos para discussões sadias.

PS. Usei pudim e salada como exemplos, acho que estou com fome, vou almoçar… bom apetite! rsrs

 

Bjss e até breve! Sem choro hein! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

 

=P

Leia Mais

Atualizações Rapidinhas #1

Atualização blaster master mega super rápida das novidades:

 

> Nico esta quaaaaaaaaase engatinhando.

> Os 2 dentes de cima estão visíveis.

> Ele começou a falar “Mâmâmâmâ” quando ele quer a mãe dele… rs

> Descobrimos que ele gosta MUITO de música, qualquer desenho que ele assiste se tiver música prende a atenção dele, caso contrário, ele prefere enfiar o dedo no nariz(nova mania dele) ou apontar os pontinhos pretos que tem em seu carrinho de joaninha.

> Está com 73 cm e pesando quase 8,5 quilos. Mês que vem teremos que trocar a cadeirinha do carro ( MEEEEEEEEEERDA ¬¬).

> Em sua última visita à pediatra, ele chorou e pediu colo para ela, sim para a médica, ficou 5 minutos  pelado no colo da doutora… rs

> Há uns 15 dias, teve uma gripe fudida forte, muita febre, tosse, mas já está 100%. Obrigado aos padrinhos pela força que nos deram nesse final de semana interminável. Ai que está a importância de padrinhos presentes na vida do seu bebê.

> Ele esta aprendendo a interagir com 2 ou mais brinquedos, tipo colocar um brinquedo dentro do outro e balançar, ou usar um brinquedo para bater em outro.

> Estamos iniciando a batalha para organizar seu horário, sendo assim, não sairemos de casa pelo próximo milênio… hahaha… Pelo menos pelo próximo mês, vamos tentar manter a rotina com poucas mudanças, para ver se dá jeito em nosso Corujinha… rs 

> ELE AMA os gatos, foram eles os responsáveis por fazer o Nico querer engatinhar, Naty e eu gritando, jogando brinquedos, fazendo malabares, pirofagia e etc… nada ele dava atenção, dai um gato passava correndo em cima da cama, ele “corria” atrás… rs… Coitado dos gatos quando ele aprender a andar MUAHAHAHAHA.

> Estamos começando a planejar seu aniversário de 1 ano… Vou me sentir os meus pais falando isso, mas enfim… COMO PASSA RÁPIDOOOOOOO ( isso é realmente verdade! Aproveitem ao máximo, igual fizemos, fiz tanto isso que nem o TCC que tenho que entregar em 2 meses comecei a fazer ainda… to fufu!).

 

Um excelente feriadão para todos os pais e mães de plantão! Aproveitem para dormir até tarde(se o pimpolho deixar… é claro) e depois dar aquele rolê no parque, comer fora de casa, sei lá, saia da rotina!

Bjss

 

=D

Leia Mais