Olha o segundo ano aí gente!

É engraçado as fases que passamos em todo o processo de paternidade. Quando casei, Naty e eu combinamos NADA DE BEBÊ! A fase da negação! Vamos ser apenas nós dois, vamos viajar, conhecer o mundo, ser ricos e etc… conseguimos manter esse pensamento por um ano, quase dois. Quando vimos que nunca viajamos, ficamos mais pobres e que a casa estava vazia demais, não conseguimos resistir. Parecia que as crianças nos seguiam, no cinema, no parque, na rua, no trânsito; e nunca eram crianças mal educadas, chiliquentas e birrentas,  eram sempre crianças de novela, educadas, padrão Fifa! Porque afinal, não teríamos um filho assim, saberíamos educá-lo para nunca causar no shopping, por exemplo. (kkkkkkkkkkkk Doce ilusão!)

 Resolvemos ter um herdeiro para as nossas dívidas! Fizemos os exames, tudo OK, Naty engravidou, começou então a fase da tensão (não é tesão não, mas pode ser… kkkkkkkk) Pensamentos em sua maioria ruins, medos, aflições “como vai ser?”, “será que daremos conta?”, “teremos dinheiro?” , “normal ou cesariana?” e etc. Milhões de dúvidas, que na maioria o Sr. Google nos ajudou a resolver (com fontes de confiança, é claro!). Era engraçado como as dúvidas nunca terminavam, pois a resposta das dúvidas anteriores geravam mais dúvidas. No fim deu tudo certo.

 Nico nasceu, começa então a fase do “é uma fase”… CÓLICAS, malditas cólicas! Até os 2 meses Nico não havia tido cólicas, dormia a noite inteira, quando as cólicas começaram! DEUS DO CÉU! Foi tenso, mas era apenas uma fase, que durou mais do que deveria, porém já terminou!

 Nico se desenvolveu e continua na velocidade da luz! É realmente incrível o nível de evolução daquele pequeno ser que em menos de dois anos, aprendeu a falar, engatinhar, andar, correr, pular, fazer birra, charme, sorrir, gargalhar, brigar e brincar com os gatos que temos em casa. Sem contar as milhares de coisas que apenas quem convive com ele tem o privilégio de ver. Há momentos que marcam um ano inteiro, um sorriso com o timming perfeito pode mudar tudo que o eu pensava que eu sabia da vida. Atualmente estou na fase do “queria que tudo tivesse passado mais devagar, ou que eu pudesse ter um controle remoto para rever aquele sorriso, aquela birra no shopping ou até mesmo aquele capote no sofá” esses momentos passam de maneira implacável e só ficam na memória.

Filho te amo. E que você seja abençoado a cada dia! Aproveite sua infância, pois daqui 3 dias, você ficará mais velho e nunca mais terá 1 ano de idade…

=D

Leia Mais

A vida se vai, o amor permanece!

Hoje fui linkado por um amigo no vídeo abaixo. Trata-se de um homem, com idade aproximada a minha, com uma linda filha de sete meses. O vídeo é “simplesmente” uma despedida. Nick (o pai) esta com câncer terminal. Vejo o vídeo, seque as lágrimas e continue lendo o post.

Chega a ser trágico, como nos apegamos as coisas pequenas, problemas pequenos, intrigas minúsculas. Somos egoístas por natureza? Ou somos contaminados pela sociedade e cultura em que vivemos? São perguntas que eu não sei responder, pois não é a minha área de estudo, mas são perguntas que gostaria de ter a resposta.

Esse vídeo me fez pensar o que realmente vale a pena na vida… viver!

Parece um clichê e pode até ser, mas muitas vezes, perdemos um tempo precioso brigando com familiares, pais, mães e filhos(as), esse tempo NUNCA mais vamos recuperar, pois o tempo é implacável e impiedoso. Você acha que estou sendo dramático demais? Fala isso para o homem do vídeo acima, que não verá nem o aniversário de 1 ano da sua única filha, não verá sua apresentação na escola, não participará de nenhuma reunião de pais e mestres, muito menos fará cara de mal quando o primeiro namorado da sua filha, bater na porta da sua casa. Vamos aproveitar o tempo que temos com quem amamos. Pois quando partimos dessa para uma melhor(ou não) só o amor permanece.

Despedida
No vídeo a esposa pergunta se ele pudesse resumir o que sente em apenas uma palavra, qual seria? Ele vai e me responde ABENÇOADO!
putaquepariu! Suor escorre dos olhos… rs 

Leia Mais

Trabalho mais difícil do mundo

O que você faz para viver? Trabalha em quê? Alguns trabalham muito e ganham pouco. Outros, trabalham pouco e ganham mais do que o suficiente para viver uma excelente vida. Mas você é valorizado por tudo que você faz? A cada ação tomada e projeto realizado você recebe um tapinha nas costas, um reconhecimento ou algum sinal de gratidão?

Se você pensar direito, reconhecimento não é algo muito comum em várias empresas. Você é pago para fazer e se “não estiver feliz, contrataremos outro que ficará”. Mas e quem não ganha nada trabalhando, como fica?! Hãm! Se perdeu?! Não, não estou falando de escravidão não, isso é doentio, estou falando de pessoas que trabalham e não recebem dinheiro como retorno… Se não entendeu nada, assista o vídeo abaixo e reflita!

 

Alguns pais e mães ficam bolado com esse negócio de trabalhar ou não quando o bebê ainda é pequeno. Se dedicar a carreira ou família e etc… Eu conheço pessoas que optaram pelas duas opções e nenhuma delas se arrependeu de suas escolhas. Creio que o ideia é o que optar por fazer, fazer bem feito. E se você optou por ficar em casa, trabalhando em prol da sua família, não se envergonhe ou se sinta discriminada. Ou você que trabalha horas e horas para dar uma vida melhor para seu filho(a), quase não o vê, mas o ama, não se sinta culpado ou menos obrigado a ajudar na estruturação familiar. Não julgo ninguém, o ideal e o que eu busco é um meio termo, uma medida de tempero, para prover para minha família e ao mesmo tempo ser parte dessa família.

Não aponte o dedo para as opções dos outros, olhe primeiro para a sua própria escolha. Se funcionou com você, não significa que funcionará com outros. Famílias tem dinâmicas diferentes e membros diferentes. Seja sensato!

Fica aqui minha homenagem à todas as “Diretores(as) de Operações” espalhados pelo mundo.

s2

Leia Mais

Mudanças. Só os pais entenderão!

Tudo muda após o nascimento de um filho(a). Do momento da concepção, até a ciência da gravidez, todo o processo de gestação, parto e pós parto, processo de desenvolvimento (do bebê e dos pais), são ciclos marcantes na vida da família. Não acredito que depois desse turbilhão de novos sentimentos, podemos ver o mundo do mesmo modo. Algo íntimo deve acontecer, e quando digo íntimo, creio que seja tão profundo que nem nos damos conta, algo inconsciente. Ações que antes eram quase automáticas, hoje já não são mais praticadas, por exemplo, me sentia incomodado em comer fora e crianças ficarem olhando, apontando ou algo parecido, hoje isso é normal para mim, se vejo alguma criança olhando, pergunto aos pais se posso oferecer o que a criança esta interessada. Pode ser uma questão de educação também, talvez eu fosse de certa forma, mal educado, mas o importante é a mudança no agir

Detesto chegar atrasado em compromissos, acho uma falta de respeito(ainda acho) com a pessoa que te espera, porém, com um filho e morando em SP (trânsito), a vida é imprevisível! Acordar o Nico, trocá-lo, arrumar malas (sim, malas, uma de refeições e lanches e outra para fraldas e roupas), pegar a chupeta (que quase sempre esquecemos, dai temos que voltar para pegar), pegar algum brinquedo, não deixar ele se sujar até sairmos, não o deixar abraçar os gatos e ficar cheio de pêlo, isso tudo sem contar que antes precisamos estar arrumados, ambos, pai e mãe! Ou seja, tem que valer muito a pena sair de casa, porque dá um trabalho do caralho, MAASSSS nem todo mundo entende como algo que antes era simples, pode mudar e ficar complexo.

Um casal de amigos tiveram uma princesa linda a menos de 1 mês, conversando com o pai, me vi há um ano e pouco atrás, ele falou “Agora eu sei como é foda ficar acordado na madruga, dá nem pique de sair de casa e tal, hoje eu te entendo, não era exagero da sua parte!“. E realmente pensamos mesmo que é exagero na maioria das vezes, porém, temos que tentar enxergar além da nossa realidade, olhar para frente e para os lados, uma criança tem cólica, não dorme a noite toda, dá trabalho para comer papinha, se caga toda minutos antes de sair de casa, cai e bate a cabeça, mil e uma coisas acontecem quando temos a responsabilidade com um ser humano tão pequeno e tão inocente e indefeso.

nicoDeixamos de viver apenas por nós, de certo modo, também vivemos por ele e para ele. Quando um amigo(a) falar que não tá afim de sair porque esta cansado, não dormiu bem a semana por causa do bebê, ou por qualquer motivo que envolva a criança, não ache que é desculpa furada, pois na maioria das vezes não é! Não julgue “ai, depois que vocês tiveram bebê, vocês se afastaram, se distanciaram, não ligam mais para ninguém além do filho(a) de vocês!” Mais é lógico! Você não precisa acordar de 3h em 3h para dar mama, ou se for igual o Nico, você não precisa ficar acordado até o Jornal da Manhã, para ele pegar no sono.

Temos que pegar leve em nosso egocentrismo, rever se estamos ou não sendo egoístas, e eu me incluo, pois já fiz isso também, já fui esse péssimo amigo citado acima, mas hoje eu entendo e escrevo este post não para os pais e mães que costumam ler meu blog, mas para os amigos, parentes e conhecidos dessa galera aí, que rala sendo pais e mães de verdade. Não aponte o dedo, não julgue, faça o contrário, acompanhe, ajude, conforte, se faça presente! Agradeço a deus por ter pessoas assim do nosso lado, madrinha, padrinho, familiares e amigos. PS. Deus abençoe as mães de sono leve, porque pais de sono pesado é o que não falta!

Uma dica grátis, se seu casal de amigos está cansado, derrotado, com sono e não esta afim de sair de casa, junte-se a eles. Rachem uma pizza, peçam lanche,  joguem jogos de mímica, tabuleiro ou cartas. Enfim, faça da noite sem fim deles, uma noite especial, com bate papo agradável e risadas, porque diversão não existe apenas fora de casa, ela pode ser encontrada na presença de boa companhia, afeto e pizza! hahaha

Dia desses, marquei que pegaria a madrinha e padrinho do Nico as 15h. Buzinei na frente da casa deles as 14:58h. A madrinha saiu de chinelo e o padrinho nem banho tinha tomado e eu ainda levei a culpa “Ahhh não imaginamos que vocês chegariam no horário, nunca chegam, logo hoje resolvem chegar!” rimos e esperamos eles se arrumarem. Não os culpo, um dia eles serão pais e entenderão!

 

Perdoem minha péssima periodicidade nos posts, prometo melhorar! Estou fazendo roteiros para abrir um canal paterno no youtube e também fui convidado a participar de um projeto com mais 3~4 pais, em breve posto novidades

 

Bjss e boa semana!

Leia Mais

Você conhece um bebê musical?

Sim, eu tenho um bebê musical em casa! Vai gostar de música assim lá longe!

Nico não pode ouvir uma música que já mexe o esqueletinho. Ele já começa a possuir seus próprios gostos. Creio que desde a barriga da mãe, a música já é algo que acontece. Os órgãos da mamãe trabalhando a mil por hora, vozes abafadas, estampidos e etc. Uma grande música sem contexto, mas que hora acalma e hora aborrece o bebê. Dizem que a música ajuda o bebê a desenvolver partes do cérebro mais cedo, aguça a criatividade e etc. Mas não é por isso que você vai colocar o fone no seu bebê e torcer para ele virar o Mozart, bom senso né! Deixe o bebê ouvir o que lhe interessa, mas sem exageros. Como minha mãe sempre diz, tudo que é demais, sobra! 

Nico é eclético musicalmente. Já curtiu e dançou hits de Galinha Pintadinha, Mickey e Cocoricó, e algumas músicas peculiares, para não dizer toscas:

Já é sensação          –           A lelek lek lek          –           Show das Poderosas

Se somar as séries que Naty e eu assistimos (ou assistíamos antes do Nico…rs), chegamos na marca de umas 10-15 séries, entre as nossas favoritas, Nico adora algumas aberturas:

Série 4400 e Breaking Bad

Antes de julgar o gosto musical de um bebê… lembre-se desse episódio de >  Friends < 

É muito curioso como qualquer música chama a atenção do Nico. Se ele esta brincando e um jingle, alguma trilha sonora de filme ou comercial de tv chama sua atenção, ele larga o brinquedo, dança (ou balança) e depois, quando o som termina, ele volta a brincar.

Ele também adora livros musicais, sabe aqueles de apertar botões e sai o som dos bichos, ou toca alguma música? Então esse daí.

Naty e eu rimos muito com essas pequenas pausas para dança. Vou começar a tocar violão perto dele, para ver se a aptidão musical cresça e amadureça com um MPB, um Rockezinho e etc… porque de pop, funk e trash music eu já estou cheio! kkkkkkkkkkkk

 

E você, conhece algum bebê musical?

Comente aí! E compartilha se curtiu o post!

 

Bjss

Leia Mais

A zueira never ends

Queridos(as) leitores, boa tarde! Eu voltei e a ZUEIRA veio junto. Antes de começar a escrever qualquer coisa, gostaria de mostrar a cara de sapeca do Nico.

Nicolas

Agora voltando ao assunto… esse menino está zueiro demais. Com 1 ano e 4 meses, ele esta andando “like a boss” e  querendo muito falar. Atualmente ele faz apenas citações de autores desconhecidos, na língua dos bebês. Tenho muito o que contar, em todo esse tempo que fiquei fora (TCC), mas farei isso em partes.

Hoje vou contar uma das minhas aventuras de pai. Já comecei a passar vergonha e pagar a língua. Sabe aquela mania que temos de julgar sem saber/conhecer do assunto e etc… então, essa mesmo. Quando saía para comer fora, detestava ser encarado por crianças, bebês e etc, com aquelas carinhas de “famintos sacos sem fundo”, sempre dizia “Pais são noção, não vê que a criança está encarando, poxa. Vira ela para lá…” Pois é, pois é… isso não é tão fácil como parece!

Nesse dia em especial, era dia das crianças. Havíamos saído com nossa afilhada e com os avós do Nico, para comemorar a volta de uma viagem de férias. Fomos a um mercado, que possui praça de alimentação, comemos lá, nos divertimos, conversamos e matamos a saudade. Todos satisfeitos! Menos Naty e minha afilhada, que queriam um sorvete. Fomos a um Mc próximo de nossa casa. Chegando lá, comprei um sorvete para cada uma delas, mirrado e sofrido, como qualquer sorvete do Mc. Comprei uma tortinha para mim e o Nico serrou um pedaço de tudo que havia comprado… MAS não satisfeito ele virou e começou a encarar a moça e apontar para a batatinha.

Sério gente, eu estava de frente para a moça e seu namorado, o mano tinha uma cara de poucos amigos, devia ser fome kkkkkkkkk Já a moça foi super simpática com o Nico, deu a batatinha para ele, que não hesitou em enfiá-la na sua boca trituradora. Quando ele tentou pedir mais, fomos embora kkkkkkkk A moça ainda falou “Está com fome, bebê?” Mal sabe ela, que ele já havia devorado uns frangos fritos, algumas batatinhas e parte de um strogonoff de frango.

São aventuras que acontecem e devemos estar preparados, ou não. Já passaram por isso?

Bjs

Leia Mais

Primeiro Aniversário do Nicolas – Um ano especial

Queridos(as), há um ano eu escrevi o post abaixo, informando aos leitores, amigos e familiares, que Nicolas havia nascido, vou reler o post com algumas observações. Espero que vocês me acompanhem!!!

20/06/2012

Sim queridos, nasceu! Após 39 semanas e 5 dias… Nicolas veio ao mundo(Afff que noob…rs)

Com fartos, 4.520 kgs e seus 53 cm chegou aos gritos no berçário acordando os pequenos que já estavam lá.

Ele continua noob, com bônus em choro, manha, baba e fazer xixi na hora que estamos trocando a fralda. Atualmente com 9 kgs e mais de 75cm. Engatinhando profissionalmente e já tentando uns passinhos. Quando pequenino, colocava MPB para ele ouvir, na hora de dormir, cantava para ele, hoje em dia ele prefere música mais agitadas e quase me ajuda a cantar…

Senta, que lá vem história! rs

“Cadê o pai?” gritou a médica de plantão. Eu (já meio lesado) levantei a mão, ela gritou novamente, “CADÊ O PAI” dai lembrei que tinha que responder coma voz, pois a bendita estava na outra sala, gritei “Tô aqui!“. Entrei na sala e já tava tudo pronto, mais alguns minutos de espera, algumas interjeições de outros médicos que estavam ali vendo o parto… Coisas do tipo “Vish…” “Nossa!” … agradeci aos céus por eles estarem só assistindo, porque sem dúvida também era o primeiro parto deles…rs…

Cadê o pai? O pai esta aqui! Trocando fralda, levando no pediatra, para o matadouro ( vacina… rs ), começando a educa-lo ( ele tá com mania de querer morder quando fica bravo… posso com isso??? rs ). Nesse instante estou com ele aqui do meu lado, dando palpites no meu texto, ao som de galinha pintadinha volume 3… sim quase 2am e ele ligadão… normal ( para ele e não para nós…rs ).

Nicolas nasceu “causando” na S.O. Gritando feito um corinthianos em semi-final de Libertadores (espero que ele seja pé quente =P)!

Sim, ele é pé quente, Timão campeão da Libertadores, do Mundial de Clubes e do Paulistão… esse se não for corinthiano, só pode ser mentira! Além de ser pé quente no futebol, comemora seu 1º aniversário junto com a democracia, o povo, as manifestações e no mesmo dia em que o povo venceu o braço de ferro contra as prefeituras que aumentaram as passagens de transporte público. Uma luz no fim do túnel, nossa geração lutando pelo bem estar da geração do Nicolas e de todos que com ele vão colher os frutos que nos estamos plantando. Um exemplo que nossos filhos, sobrinhos e netos devem seguir, sair às ruas, pacificamente, mas, seguros de que estamos lutando por algo que nos é de direito. Entre as frases desses manifestos a que mais falou comigo foi a seguinte: “Enfim o Brasil muda de status: de “Deitado eternamente em berço esplêndido”, para: “Verás que um filho teu não foge à luta”.”

Um dos médicos noobs pediu para tirar foto do bebê, porque nunca havia visto um bebê tão grande. Autorizei com um sorriso de besta na cara.

Não me pergunte o que eu senti na hora H, é algo único, um misto de muita coisa, sensações, emoções e projeções.

Continua sendo difícil descrever a paternidade, é uma salada mista de sentimentos, emoções, eventos, experiências e muito amor. Nicolas parece que desde a primeira foto, continua fotogênico ( sim, sou pai dele e posso puxar o saco o quanto eu quiser kkkkk ) Para quem quiser se apaixonar ( visssh peguei pesado agora kkk ) acessa ai @bbonfimm ( no instagram ou se preferir… http://www.iphoneogram.com/u/192327966 ).

Saúde é o que interessa… o resto não tem pressa… Issssááááá… Nicolas esta cheio disso ai! rs

Apenas alguns resfriados e mais nada de doenças, vacinas em dia… tudo na paz!!! Por falar nisso, amanhã ele tomará as vacinas de 1 ano kkkkkkkk tá ferrado! rs

O momento mais marcante(parece até o que vi da vida, do fantástico né…rs) Quando a Naty e o bebê ficaram frente a frente, ele parou de chorar, os dois rostos se encostaram, foi lindo. O bebê ficou quieto e Naty e eu chorando feito single ladies…rs Bom, agora assunto não faltará para continuar a escrever, por hoje termino aqui, agradecendo aos que me ligaram, mandaram sms, sinal de fumaça, agradeço à todos que torceram para que desse tudo certo. Agradeço a Naty por me proporcionar esse momento inesquecível na minha vida. Aos avôs e avós que ficaram de plantão lá comigo, me apoiando e me tranquilizando. Agradeço a Deus.

Os avôs e avós continuam mimando, presenteando e fazendo de tudo pelo Nico, meu grato e eterno agradecimento, sei que palavras nunca pagarão tudo o que vocês fizeram e fazem por nós. <3

Padrinho e Madrinha, sem palavras…

Tios, tias e amigos sempre que possível também estão juntos conosco, participando do desenvolvimento do Nicolas.

PS. O comum é cada bebê mamar 1 mamadeira por vez, o Nicola já mandou logo duas…rs “Põem na conta do Papa!”

Sim, ele continua comendo MUITO e de tudo. Fruta, macarrão, arroz, carne, pão, leite materno e etc… o menino é um saco sem fundo kkkkkkkkkkk

PS2. A Enfermeira perguntou se a Naty sofria de Diabetes Gestacional, por causa do tamanho do bebê, dissemos que não, ela retrucou “Então parabéns, vocês fizeram um tourinho!”

Ele cresceu muito, é bem alto, mas não é gordo… só tem uma pancinha, tipo aquelas de chopps… Mais ou menos isso!!! rs

PS3. Quase 05:20am e eu aqui blogando!

Quase 4h e eu aqui outra vez!!! rs

Obrigado Nicolas por fazer deste ano, um ano especial, inesquecível e realizador. Obrigado meu filho, pela oportunidade de ser seu pai. Te amo mais do que a mim mesmo. Te amo.

=D

Leia Mais

Batismo, padrinhos e lobisomem

Sei que faz meses que Nico foi batizado, e sim, demorei mesmo para fazer o post sobre o batismo, queria apenas ter certeza que ele não viraria lobisomem(minha sogra vai me arrebentar…rs…)  kkkkkkkkkkkkkk Brincadeiras à parte, foi um dia especial e cercado de amigos. Cada um tem uma religião em que acredita, ou não…rs… Não estou aqui levantando bandeira alguma, estou apenas registrando que foi um bonito momento que tivemos em família e entre amigos.

Mas essa aventura paterna, começou 15 dias antes, no cursinho de batismo que durou quase uma eternidade de quase 6h e que poderia ser resumido em 30 min. Enfim, a burocracia esta ai para ser usada… bora usar!

Pai, mãe, padrinho e madrinha, acordamos domingão cedo e fomos encarar o cursinho, demos muita risada com os palestrantes e outros participantes ali presentes, foi um dia divertido no geral, relembramos alguns ensinamentos que já havíamos visto na catequese, mas nada de novo. Tudo se resume numa boa educação, com respeito, amor, fé, dignidade e acima de tudo amor ao próximo. Conhecemos o (jovem) padre que realizaria o batizado(mas que depois descobri que ele realizaria apenas a missa pré-batismo, e que o batizado seria realizado por um diácono bem mais experiente, se é que você me entende…rs).

Religião a parte, aconteceram algumas coisas muito engraçadas no batismo, Nico dormiu, para variar, ele só não dorme em casa e na hora que deve dormir, de resto ele capota. O padrinho do Nico apagou a vela de batismo umas 3x, que deveria “iluminar” os caminhos do Nico, por fim, acabamos “serrando” a chama da vela de outra bebê lindinha, que também estava sendo batizada, caso o Nico volte a encontrá-la e acabe se apaixonando, foi culpa do seu padrinho que entrelaçou o caminho dos dois bebês… kkkkkkkkkkkk bem coisa de novela das 9h né…rs… “Chamas da Paixão” kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Muitos amigos que “detestam” igreja compareceram, mostrando-se superiores a qualquer preconceito, amigos inesperados apareceram, e fizeram esse dia mais especial. Para mim essa é a base de qualquer coisa, seja relacionamento em família, amoroso e etc. A amizade verdadeira. Existem poucas… Mas quando temos a sorte de encontrá-las, devemos aproveitar até o último momento.

Após o batismo, levamos o Nico para pecar pela primeira vez, comeu batata frita e bacon… kkkkkkkkkkkkkkk

Fica meu agradecimento a todos que compareceram, cada um foi e é um tijolo, desse pequeno muro que estou ajudando a construir, cada um tem seu valor e importância em nossas vidas. Obrigado à todos, mas especialmente ao casal de padrinhos que Naty e eu escolhemos, pessoas mais do que especiais, dignos deste “cargo” e a cada dia que passa nos surpreendem com tanto amor e carinho que dão para o nosso filho, Nicolas. Torço para que no futuro Nico seja grato por nossa escolha, porque nós já somos grato.

Obrigado aos padrinhos e avôs e avós, familiares e amigos.

Vocês são a base de tudo.

E #fikadika, para você que ainda não escolheu quem será o padrinho  ou madrinha do seu bebê, pense, repense, e pense novamente, não seja precipitado. Não escolha por impulso, por presentes, por status, pois nada disso substitui a presença, o amor, o carinho que essa criança necessitará em todo seu crescimento.

E para você que é padrinho ou madrinha, não seja ausente, se faça presente, lembre nas datas comemorativas, mas não apenas nessas datas, lembre-se que você tem responsabilidades com essa criança, com sua educação, com seu crescimento. Não seja zuado(peguei leve…rs…)  como alguns que vejo por ai…rs…

Se alguém quiser comentar algo sobre o post, não fique com vergonha não, posta ai nos comentários.

 

Bjs e abraços!

Leia Mais

Medo de perder

Perder é um verbo transitivo, ou seja, necessita de um complemento. Quem perde, perde algo, perde alguém. Ontem a noite, dia 20/02, meu filho Nico comemorava seu 8º “mêsversário”, estávamos na casa de sua avó materna, assistindo o jogo do Corinthians, ao final do primeiro tempo veio a notícia terrível que um torcedor de 14 anos havia morrido, ou melhor, o garoto foi assassinado. Querendo ou sem querer, isso já é outra história, que não me compete entrar no mérito. Independente da bandeira do time, do nome do campeonato, do esporte praticado naquele local, o que perdemos foi uma vida, perdemos a chance de dar exemplo, afinal de contas, o esporte não serve para isso? Falhou a sublimação? Válvula de escape para a marginalidade? O exemplo a ser seguido. Óbvio que os profissionais que estavam em campo, comissão técnica e etc, não foram os responsáveis diretos pela morte do garoto, mas indiretamente não somos todos nós responsáveis?

Este post não significa nada(mas para mim já é muita coisa) além da minha opinião como cidadão, torcedor e pai. Dia após dia vemos morte no esporte, seja dentro das quatro linhas, seja na torcida, que significado isso tem em nosso dia-a-dia? Domingo tem clássico Santos e Corinthians, ninguém mais se lembrará do Boliviano menor de idade morto ontem, mas deviamos saber que esse boliviano, tinha um nome, assim como nossos filhos tem, possuia uma mãe, assim como nós, teve sua vida roubada num local onde deveria apenas existir emoção, alegria, momentos memoráveis, milésimos gols e etc. Ninguém mais lembrará do Kevin Douglas Beltrán Espada, apenas seus familiares e amigos…

Hoje percebi um alvoroço no facebook sobre o que deveria acontecer com o Corinthians, deveria ou não ser banido, multado e o diabo a quatro, mas espera um minuto… FODA-SE a punição para o time X Y ou Z, o que deveria ser perguntado é o que devemos fazer para que isso nunca mais aconteça dentro e fora dos estádios, essa seria uma atitude correta, e não agir feito humanóides irracionais  querendo ver o pior ou o melhor para seu time ou rival. A vida já não é mais uma prioridade social, um novo sintoma social, que nos deprecia mais e mais.

Onde esta a humanidade dentro do ser humano? Será que quanto mais “evoluímos”, perdemos a humanidade? A cada dia somos menos humanos ou mais humanos no pior sentido perverso da palavra? Onde esta o amor ao próximo? Deixo essas perguntas sem respostas, pois são perguntas que nem deveriam ser feitas.

É nesse mundo que terei a árdua missão de criar meu filho, um ser humano, com atitudes humanas, assim espero. Que Deus me ajude e conforte essa família.

Tenho medo de perder.

 

Fica aqui meu grito de decepção e a esperança que a próxima geração,  seja menos humana e ao mesmo tempo mais humana, no melhor sentido da palavra.

 

*LUTO*

Leia Mais