Somos grande?

Quem acompanha o blog a algum tempo, sabe que sou meio “cabreiro” com feriados (comerciais), e o dia dos pais é um desses feriados vendidos, com um pano de fundo nobre, mas manchado pelo consumo, na minha opinião, é claro!

Enfim, hoje é segunda feira, e para continua sendo o dia dos pais, mães, índios, árvores e etc… o mundo continua girando e em alguns lugares desse mesmo planeta, nem foi dia dos pais! kkkkkkkkk mas a paternidade e maternidade são universais e seu legado incomparável.

Ontem vi um episódio da “nova” série Cosmos: Uma Odisséia do Espaço-Tempo com o Astrofísico Neil deGrasse Tyson. No primeiro episódio ele fala sobre o nosso endereço cósmico, ou seja, em qual momento do tempo e espaço nos estaríamos localizados se o universo, desde a sua criação até a leitura deste post, fosse colocado em um calendário, do tipo que conhecemos hoje. Sendo 1º de Janeiro o Big Bang. Sabe onde a raça humana estaria localiza? 31 de Dezembro Hora 22.30.00 PASMEM! E eu não estou falando de humano que usam celular e navegam na internet, estes estão localizados no último segundo do ano novo…

Vale a pena assistir essa série, tanto a nova quanto a antiga, do Carl Sagan.

A civilização “em menos de 2 segundos” conseguiu modificar o planeta, criar cultura e viver em sociedade. E creio que a família foi a base primordial desse desenvolvimento. Por isso valorize a sua família, mesmo que ela seja “torta”, todos temos defeitos, o que temos que aprender é a conviver com as diferenças.

Ver essa série me mostrou o quanto somos pequenos em comparação com o universo, vivemos num planeta entre trilhões de outros. É lindo e ao mesmo tempo esmagadoramente angustiante. Por isso a cada dia vivo mais a minha vida e menos a dos outros, foco mais nos meus sonhos e anseios e menos nos problemas que persistem em nos perseguir.

Sol

Uma excelente semana à todos.

 

 

Trilha do post

 
Bjs

Leia Mais

A vida se vai, o amor permanece!

Hoje fui linkado por um amigo no vídeo abaixo. Trata-se de um homem, com idade aproximada a minha, com uma linda filha de sete meses. O vídeo é “simplesmente” uma despedida. Nick (o pai) esta com câncer terminal. Vejo o vídeo, seque as lágrimas e continue lendo o post.

Chega a ser trágico, como nos apegamos as coisas pequenas, problemas pequenos, intrigas minúsculas. Somos egoístas por natureza? Ou somos contaminados pela sociedade e cultura em que vivemos? São perguntas que eu não sei responder, pois não é a minha área de estudo, mas são perguntas que gostaria de ter a resposta.

Esse vídeo me fez pensar o que realmente vale a pena na vida… viver!

Parece um clichê e pode até ser, mas muitas vezes, perdemos um tempo precioso brigando com familiares, pais, mães e filhos(as), esse tempo NUNCA mais vamos recuperar, pois o tempo é implacável e impiedoso. Você acha que estou sendo dramático demais? Fala isso para o homem do vídeo acima, que não verá nem o aniversário de 1 ano da sua única filha, não verá sua apresentação na escola, não participará de nenhuma reunião de pais e mestres, muito menos fará cara de mal quando o primeiro namorado da sua filha, bater na porta da sua casa. Vamos aproveitar o tempo que temos com quem amamos. Pois quando partimos dessa para uma melhor(ou não) só o amor permanece.

Despedida
No vídeo a esposa pergunta se ele pudesse resumir o que sente em apenas uma palavra, qual seria? Ele vai e me responde ABENÇOADO!
putaquepariu! Suor escorre dos olhos… rs 

Leia Mais

Trabalho mais difícil do mundo

O que você faz para viver? Trabalha em quê? Alguns trabalham muito e ganham pouco. Outros, trabalham pouco e ganham mais do que o suficiente para viver uma excelente vida. Mas você é valorizado por tudo que você faz? A cada ação tomada e projeto realizado você recebe um tapinha nas costas, um reconhecimento ou algum sinal de gratidão?

Se você pensar direito, reconhecimento não é algo muito comum em várias empresas. Você é pago para fazer e se “não estiver feliz, contrataremos outro que ficará”. Mas e quem não ganha nada trabalhando, como fica?! Hãm! Se perdeu?! Não, não estou falando de escravidão não, isso é doentio, estou falando de pessoas que trabalham e não recebem dinheiro como retorno… Se não entendeu nada, assista o vídeo abaixo e reflita!

 

Alguns pais e mães ficam bolado com esse negócio de trabalhar ou não quando o bebê ainda é pequeno. Se dedicar a carreira ou família e etc… Eu conheço pessoas que optaram pelas duas opções e nenhuma delas se arrependeu de suas escolhas. Creio que o ideia é o que optar por fazer, fazer bem feito. E se você optou por ficar em casa, trabalhando em prol da sua família, não se envergonhe ou se sinta discriminada. Ou você que trabalha horas e horas para dar uma vida melhor para seu filho(a), quase não o vê, mas o ama, não se sinta culpado ou menos obrigado a ajudar na estruturação familiar. Não julgo ninguém, o ideal e o que eu busco é um meio termo, uma medida de tempero, para prover para minha família e ao mesmo tempo ser parte dessa família.

Não aponte o dedo para as opções dos outros, olhe primeiro para a sua própria escolha. Se funcionou com você, não significa que funcionará com outros. Famílias tem dinâmicas diferentes e membros diferentes. Seja sensato!

Fica aqui minha homenagem à todas as “Diretores(as) de Operações” espalhados pelo mundo.

s2

Leia Mais

O Ursinho Elo

Sou meio duro na queda, não me emociono fácil não. Mas esse projeto/vídeo fizeram meus olhos suar kkkkkkkkk

O Hospital Amaral Carvalho (Jaú/SP) a mais de uma mês está utilizando o Ursinho Elo para aproximar os pequenos pacientes aos seus amigos e familiares. O Ursinho recebe mensagens de voz pelo Whatsapp, ou seja, uma mãe, pode mandar mensagens de afeto e amor para seu filhote que esteja internado, e ele pode ouvir as mensagens quantas vezes quiser. O intuito dos médicos era dar suporte afetivo aos pacientes que combatem o câncer e tem baixa imunidade e por isso vivem grande parte do tratamento isolados.

Em menos de um mês com o projeto ativo, os médicos já estão satisfeitos com os resultados que os ursos trouxeram aos pequenos pacientes. O material do “Elo” não é tóxico e é anti alérgico. Após a alta do paciente, eles apagam as mensagens, higienizam o ursinho e guardam para uma nova internação, eles tem a meta de dar os ursos de presente para os pacientes, estão lutando para confecção de novos “Elos”, pois as crianças se apegam muito ao bichinho.

Chega de blablabla, fiquem com o vídeo e comentem o que acharam!

 

 

Leia Mais

Um aviso aos novos pais

Vários amigos tiveram seus filhotes esse ano ou no fim do ano passado (2013). Todos pais de primeira viagem, assim como eu (em 2012). É muito engraçado rever as aflições, medos, receios e a adaptação desses novos pais. E digo engraçado, não por ser um amigo FDP, mas por saber, que ser pai é uma construção constante, com acertos e erros, torço para que mais acertos do que erros!

Vejo meus amigos sofrendo com noites mal dormidas, na maioria deles, ajudando suas esposas, trocando fralda com xixi e cocô, dando banho, levando ao Pediatra, acompanhando nas vacinas e etc. Não que isso seja algo extraordinário, coisa de herói, longe disso, ser presente é obrigação de qualquer pai na minha opinião, porém, é importante apontar essa mudança social.

Outro exemplo são os blogs, canais de youtube e etc, na maioria são maternos, mas a cada dia, aparecem mais pais querendo compartilhar suas experiências, seja no facebook, instagram ou em qualquer outra rede social. Isso é um avanço.

Óbviamente, existem casos diferentes, não à regras para conduta dos pais. Alguns trabalham feito doidos (50~60h semanais) para dar o melhor aos seus filhos, mas infelizmente perdem a essência da paternidade, as pequenas coisas e importantes, as lembranças. Longe de mim julgar, pelo contrário, eu optei por ser presente na vida do Nico, posso pagar caro pela minha escolho lá na frente, mas no momento não me arrependo. Ele não tem um berço de ouro, mas tem pai ao lado quando precisar! Mas isso é assunto para outro post.

Voltando ao tema principal do post, novos pais, as noites mal dormidas, as malditas cólicas, as preocupações, resfriados e etc, virão, pois são fases que todos temos que passar, inclusive a criança, pois a vivência nos ensina, nos traz sabedoria. Um amigo me confidenciou que no parto de sua filha se sentiu deixado de lado pelos médicos e enfermeiros do hospital (uma excelente maternidade, por sinal), faltava informação, faltava um preparo para lidar com o outro lado da moeda, óbvio que ele não queria torrada e patê de presunto, champanhe e ostra, ele queria apenas ser tratado como um pai, cheio de dúvidas, medos e etc, assim como sua esposa, porém sem as contrações e nem o barrigão rsrs. Me entendam, ele não queria ser bajulado, ele queria apenas estar por dentro de como estava sua esposa e filha. O atendimento para sua esposa e filha foi impecável, mas ele foi “esquecido”. Conversamos na maternidade e chegamos a conclusão de que ele sofreu um ato de machismo social. “Ah o pai nem liga para essas coisas mesmo, foda-se ele!”, “O pai só tá ai para ver o parto mesmo, foda-se então…”, existem pais que não dão a mínima? Com certeza existem, mas não é por isso que TODOS os pais devem ser tratados como se não dessem a mínima para a situação de suas esposas e filhos.

Para as mães, fica também o meu recado, amamentação é algo importantíssimo para o bebê, seja paciente, persista, porque o bem que isso fará ao seu filho é inigualável. MAAAAAAASSSSSSS, se tudo der errado, paciência! Você não é menos mãe porque não amamentou por muito tempo, assim como a paternidade, a maternidade é uma construção, que vai desde a concepção até o fim da vida, até os recados na geladeira “Vai chover, leve o guarda chuva!”, “Não esquece de tirar a roupa do varal”, “filho te amo, tem comida na geladeira, só por nos microondas!” e assim por diante. Nada se compara com o ato de ter um filho(a), ser responsável por outro de uma maneira tão instintiva, um laço de dependência gigantesco entre mãe, pai e filho.

Aqui fica meu aviso, não é fácil, mas vale a pena!  

E você, já sofreu algo do tipo!? Compartilhe comigo sua experiência.

 

Abraços!

Leia Mais

As pequenas coisas da vida

Pequenos atos, podem e fazem uma enorme diferença em nosso dia a dia. Um “- Bom dia” seguido de um sorriso sincero, um olhar complacente à alguma boa ação, um “- Saúde” após um espirro de um desconhecido, entre outras pequenas atitudes que podem mudar o rumo do seu dia. Imagine você vivendo em um mundo sem “gentileza”, não por um dia, ou por uma semana, mas por anos. Um lugar onde ao menor deslize gentil, fosse encarado como algo desprezível. Daí você pára de ler o texto e se pergunta “Mas que merda de cogumelo o Bruno (autor do blog) comeu!?” – Nenhum. Apenas acordei com essa sensação de que a cada dia que passa, estamos menos gentis com o próximo e nem sempre a culpa disso é nossa.

Quinta feira passada, um rapaz veio no meu portão enquanto eu pagava o motoqueiro que trazia a “janta”, pizza. O rapaz tinha uma idade média de uns 30~40 anos. Uniforme de trabalho, cabelo bagunçado como qualquer pessoa que suou o dia todo no serviço e pegou busão lotado para voltar para casa. Ele me pediu um dinheiro para por gasolina em seu carro, pois sua esposa estava na maternidade tendo o seu bebê prematuro de 7 meses, ele realmente passou sinceridade, pois quem me conhece sabe como eu sou com dinheiro… rs… Pior que o tio patinhas… kkkkkkkkkk Ele falou que sua esposa havia saído de casa e levado seu cartão e seu carro estava na garagem da casa dele sem nenhuma gota de gasolina, ele me mostrou a carteira do convênio Porto Seguro, seu crachá do prédio onde trabalhava de porteiro. Para testa-lo ofereci cinquenta reais, para ver a que ponto chegaria a sua ganância, caso fosse uma farsa (que não me pareceu em momento algum), ele respondeu sincero “- A maternidade é na Av. Paulista, acho que trinta reais dá para ir e voltar de boa, dai amanhã nesse mesmo horário eu te devolvo” Ele me agradeceu horrores, falou que estava envergonhado de ter que pedir dinheiro emprestado, mais realmente era uma emergência e tal. Emprestei ciente que se fosse uma farsa, aprenderia uma lição barata (30R$) e se ele devolve-se o dinheiro, aprenderia uma lição MUITO valiosa, que pessoas honestas não são tão raras assim no local onde eu moro… hoje é segunda feira e eu aprendi uma lição barata.

Me entristece contar isso para vocês, mas é um modo de aliviar esse sentimento que estou sentindo. O cara teve a manha de usar um bebê prematuro para ganhar trinta reais?! Chega a me dar raiva. O bebê pode até existir, ou não, o ponto é o valor do caráter de alguém, como pode valer apenas 30 R$. 

Se pudesse voltar no tempo, creio que novamente emprestaria o dinheiro, não por querer ser o caridoso nem nada, até porque não sou muito de caridade não… mas isso é assunto para outro post, mas o ato que eu tive, foi um ato de esperança, esperar que realmente fosse verdade, esperar que realmente eu havia ajudado um pai a ver seu filho prematuro, ajudar uma família a se reunir, sei lá… acho que depois que tornei-me pai, amoleci (no bom sentido…rs).

Minha esperança foi abalada? Sim, porém, continuo acreditando que não é nesse mundo que eu quero que meu filho viva, por isso farei dele um homem digno, para que seus filhos, talvez, vivam num mundo melhor.

Para ilustrar meu texto, segue esse vídeo bem bacana!

Leia Mais

Você conhece um bebê musical?

Sim, eu tenho um bebê musical em casa! Vai gostar de música assim lá longe!

Nico não pode ouvir uma música que já mexe o esqueletinho. Ele já começa a possuir seus próprios gostos. Creio que desde a barriga da mãe, a música já é algo que acontece. Os órgãos da mamãe trabalhando a mil por hora, vozes abafadas, estampidos e etc. Uma grande música sem contexto, mas que hora acalma e hora aborrece o bebê. Dizem que a música ajuda o bebê a desenvolver partes do cérebro mais cedo, aguça a criatividade e etc. Mas não é por isso que você vai colocar o fone no seu bebê e torcer para ele virar o Mozart, bom senso né! Deixe o bebê ouvir o que lhe interessa, mas sem exageros. Como minha mãe sempre diz, tudo que é demais, sobra! 

Nico é eclético musicalmente. Já curtiu e dançou hits de Galinha Pintadinha, Mickey e Cocoricó, e algumas músicas peculiares, para não dizer toscas:

Já é sensação          –           A lelek lek lek          –           Show das Poderosas

Se somar as séries que Naty e eu assistimos (ou assistíamos antes do Nico…rs), chegamos na marca de umas 10-15 séries, entre as nossas favoritas, Nico adora algumas aberturas:

Série 4400 e Breaking Bad

Antes de julgar o gosto musical de um bebê… lembre-se desse episódio de >  Friends < 

É muito curioso como qualquer música chama a atenção do Nico. Se ele esta brincando e um jingle, alguma trilha sonora de filme ou comercial de tv chama sua atenção, ele larga o brinquedo, dança (ou balança) e depois, quando o som termina, ele volta a brincar.

Ele também adora livros musicais, sabe aqueles de apertar botões e sai o som dos bichos, ou toca alguma música? Então esse daí.

Naty e eu rimos muito com essas pequenas pausas para dança. Vou começar a tocar violão perto dele, para ver se a aptidão musical cresça e amadureça com um MPB, um Rockezinho e etc… porque de pop, funk e trash music eu já estou cheio! kkkkkkkkkkkk

 

E você, conhece algum bebê musical?

Comente aí! E compartilha se curtiu o post!

 

Bjss

Leia Mais

A zueira never ends

Queridos(as) leitores, boa tarde! Eu voltei e a ZUEIRA veio junto. Antes de começar a escrever qualquer coisa, gostaria de mostrar a cara de sapeca do Nico.

Nicolas

Agora voltando ao assunto… esse menino está zueiro demais. Com 1 ano e 4 meses, ele esta andando “like a boss” e  querendo muito falar. Atualmente ele faz apenas citações de autores desconhecidos, na língua dos bebês. Tenho muito o que contar, em todo esse tempo que fiquei fora (TCC), mas farei isso em partes.

Hoje vou contar uma das minhas aventuras de pai. Já comecei a passar vergonha e pagar a língua. Sabe aquela mania que temos de julgar sem saber/conhecer do assunto e etc… então, essa mesmo. Quando saía para comer fora, detestava ser encarado por crianças, bebês e etc, com aquelas carinhas de “famintos sacos sem fundo”, sempre dizia “Pais são noção, não vê que a criança está encarando, poxa. Vira ela para lá…” Pois é, pois é… isso não é tão fácil como parece!

Nesse dia em especial, era dia das crianças. Havíamos saído com nossa afilhada e com os avós do Nico, para comemorar a volta de uma viagem de férias. Fomos a um mercado, que possui praça de alimentação, comemos lá, nos divertimos, conversamos e matamos a saudade. Todos satisfeitos! Menos Naty e minha afilhada, que queriam um sorvete. Fomos a um Mc próximo de nossa casa. Chegando lá, comprei um sorvete para cada uma delas, mirrado e sofrido, como qualquer sorvete do Mc. Comprei uma tortinha para mim e o Nico serrou um pedaço de tudo que havia comprado… MAS não satisfeito ele virou e começou a encarar a moça e apontar para a batatinha.

Sério gente, eu estava de frente para a moça e seu namorado, o mano tinha uma cara de poucos amigos, devia ser fome kkkkkkkkk Já a moça foi super simpática com o Nico, deu a batatinha para ele, que não hesitou em enfiá-la na sua boca trituradora. Quando ele tentou pedir mais, fomos embora kkkkkkkk A moça ainda falou “Está com fome, bebê?” Mal sabe ela, que ele já havia devorado uns frangos fritos, algumas batatinhas e parte de um strogonoff de frango.

São aventuras que acontecem e devemos estar preparados, ou não. Já passaram por isso?

Bjs

Leia Mais

O TCC terminou, o blog não!

Galera,

 

É com alegria que informo que mais um “filho” meu nasceu! Não estou falando do irmão do Nico não, esse ainda é apenas um plano futuro. Falo sobre meu trabalho de conclusão da pós graduação. Agora terei mais tempo para me dedicar ao blog.

Conto com a colaboração de todos vocês, com críticas construtivas, sugestões e curtidas e compartilhadas.

Estou voltando a pensar em um podcast, ou videolog… em breve mais notícias., reviews e posts.

 

Por hora é isso. Feliz por estar  de volta.

 

 

=D

 

Abraços

Leia Mais